Sonda Parker, da NASA, já está preparada para se aproximar novamente do Sol

VIA: Gizmodo

Já faz um tempo que ouvimos falar sobre a sonda solar Parker, aquela espaçonave da NASA que vai em direção ao Sol e que muito provavelmente se tornará em breve um punhado de metal derretido. Em uma atualização da agência espacial, soubemos agora que a equipe que controla a missão está dedicada à sua segunda aproximação do Sol. Ao todo, o plano é que a sonda faça 24 órbitas estelares.

A sonda Parker completou sua primeira jornada pela órbita do Sol, atingindo seu ponto de afogamento, ou seja, a distância orbital mais distante de nossa estrela, em janeiro de 2019, informou a NASA. Ela está novamente indo em direção ao seu alvo, com a expectativa de atingir o periélio (ponto de maior proximidade com o Sol) em 4 de abril de 2019.

A sonda solar Parker atingiu um importante marco de 161 dias de missão, e parece que tudo está dando certo até o momento.

“Foi uma primeira órbita esclarecedora e fascinante”, disse Andy Driesman, gerente de projeto da sonda Parker, em um comunicado. “Aprendemos muito sobre como a espaçonave opera e reage no ambiente solar, e estou orgulhoso em dizer que as projeções de nossa equipe foram muito precisas.”

© Fornecido por F451 Midia Ltda.

A sonda está transmitindo dados para a Terra usando a Deep Space Network, da NASA, um conjunto de antenas posicionadas na Terra e no espaço feitas para oferecer suporte a missões de espaçonaves. Até agora, a sonda já transmitiu mais de 17 gigabits de dados científicos preciosos para o nosso planeta, segundo a NASA, mas só em abril deveremos receber dados ainda sobre a primeira volta ao redor do Sol. A espaçonave está coletando dados sem precedentes com seu conjunto de instrumentos — dados que ajudarão os cientistas a aprenderem mais sobre a coroa solar e como o material estelar e partículas produzidas pelo Sol se movem pelo espaço em altas velocidades.

Um dos cientistas do projeto, Nour Raouafi, disse que os dados coletados até o momento sugerem “muitas coisas novas que não vimos antes e potenciais novas descobertas”. A sonda solar Parker, disse ele em um comunicado, “está cumprindo a promessa da missão, revelando os mistérios do nosso Sol”.

Um outro marco importante rolou algumas semanas antes do afélio, quando a Parker entrou em pleno status operacional, ou fase E, no dia do ano novo. Todos os sistemas da sonda estão agora online e funcionando de acordo com as especificações, segundo a NASA.

A equipe da Parker pode agora estabelecer seus locais para o periélio de abril, quando a sonda vai perambular a uma distância do Sol de 21,1 milhões de quilômetros, o que estabelecerá um novo recorde para um objeto construído por humanos.

Em 29 de outubro de 2018, a Parker estabeleceu um recorde de proximidade quando chegou a 42,7 milhões de quilômetros da superfície do Sol, quebrando o antigo recorde da sonda Helios 2. A distância mais próxima da sonda é esperada para ocorrer em junho de 2025, quando serão 6,16 milhões de quilômetros do Sol. Nessa distância, a Parker precisará de apenas 88 dias para fazer uma órbita completa em torno da estrela e viajará aproximadamente a 692 mil quilômetros por hora.

Na preparação para o afélio de abril, os controladores da missão estão liberando espaço de armazenamento excluindo os arquivos já transmitidos para a Terra e enviando informações atualizadas de posicionamento e navegação, inclusive uma sequência de comandos automatizados que deve manter a sonda ocupada por cerca de um mês.

Boa sorte em sua segunda viagem em direção ao Sol, sonda Parker!

DEIXE UMA RESPOSTA

9 + 1 =