São Paulo tem manhã de caos após madrugada de fortes chuvas

Após as fortes chuvas que atingiram a Grande São Paulo na noite de domingo e na madrugada desta segunda-feira, 11, resultaram em uma manhã de intenso congestionamento na cidade. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), são 173 quilômetros de trânsito, sendo a Zona Oeste a região mais atingida, com 52 quilômetros.

A CET suspendeu o rodízio em toda a capital em razão do temporal. A zona azul para estacionamentos está liberada em toda a cidade, também segundo a companhia.

Por volta das 10h40 da manhã, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) contabilizava 33 pontos de alagamento na cidade de São Paulo, sendo onze intransitáveis e 22 transitáveis. Com o abrandamento da chuva, no entanto, a única região que segue em estado de alerta é a compreendida pela Subprefeitura do Ipiranga.

Segundo o CGE, já choveu, nos primeiros dez dias de março, mais de 83% do previsto para o mês inteiro. Na região do ABC, as cotas do Rio Tamanduateí e afluentes seguem elevadas, o que mantém as regiões em alerta.

A circulação de ônibus também foi afetada, segundo a São Paulo Transporte (SPTrans). Registradas paradas e desvios em linhas que transitam pelas avenidas do Estado, a partir do Terminal Parque Dom Pedro, Luiz Ignácio de Anhaia Mello e Francisco Morato. A situação de cada linha pode ser consultada no sistema Olho Vivo, fornecido pela SPTrans. A operação nas linhas do Metrô é normal.

A Linha 10-Turquesa da CPTM está paralisada em razão de alagamentos e sem previsão de volta. As demais linhas operam normalmente.

Mortos

Ao todo, as fortes chuvas deixaram sete mortos. Três deles foram encontrados afogados e os outros quatros são vítimas de um desabamento de uma residência em Ribeirão Pires. As informações foram confirmadas pelo Corpo de Bombeiros de São Paulo.

O desabamento de uma casa na Rua Caiçara, por volta de 23h43, deixou quatro vítimas fatais. Dois corpos, que estavam desaparecidos, foram localizados no local e estão sendo removidos. Duas pessoas já tinham sido encontradas sem vida e outras duas foram resgatadas.

Segundo a nota, as equipes de socorro do Corpo de Bombeiro e Defesa Civil municipal e estadual trabalham na remoção dos corpos. “Por volta de dez famílias residentes do entorno do imóvel atingido pelo deslizamento foram retiradas da área. Equipes da Assistência Social estão realizando identificação, orientação e suporte às famílias”, informou a Prefeitura.

(Com Estadão Conteúdo)

DEIXE UMA RESPOSTA

30 + = 35