Romênia anuncia que mudará embaixada em Israel para Jerusalém

© Spencer Platt Sagrada para judeus, muçulmanos e cristãos, Jerusalém é reivindicada por israelenses e palestinos como parte de seus territórios e capital nacional

Romênia anunciou a transferência de sua embaixada em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. Com a decisão, o governo romeno se une aos Estados Unidos e reconhece a cidade como capital legítima israelense.

A primeira-ministra da Romênia, Viorica Dancila, fez o anúncio neste domingo 24. No discurso, a premiê destacou os laços de seu país com Israel e afirmou que sua nação continuará sendo um forte aliado do povo judeu no futuro.

“Posso prometer isso: a Romênia continuará sendo o mesmo amigo legal e a voz europeia mais forte em apoio do povo judeu e do Estado de Israel”, disse a primeira-ministra.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, agradeceu o apoio do governo da Romênia e chamou a primeira-ministra de “amiga”.

A Organização pela Libertação da Palestina lamentou a decisão e classificou a medida como “violação dos direitos palestinos, do direito internacional e das resoluções das Nações Unidas”.

Antes de Dancila, o presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, já havia anunciado no domingo que também mudará a embaixada do país para Jerusalém.

Sagrada para judeus, muçulmanos e cristãos, Jerusalém é reivindicada por israelenses e palestinos como parte de seus territórios e capital nacional. A comunidade internacional, como forma de se manter neutra no conflito, encoraja as nações a manterem suas embaixadas em Israel na cidade de Tel Aviv, principal centro comercial do país.

Em maio, contudo, os Estados Unidos decidiram mudar a embaixada em Israel para a cidade. Os passos foram seguidos por Guatemala e Paraguai, mas assim que assumiu o poder o presidente paraguaio Mario Abdo Benítez reverteu a decisão tomada pelo antecessor, Horacio Cártez, que estava em fim de mandato.

Críticas internas

O presidente da Romênia, Klaus Iohannis, criticou a decisão da primeira-ministra Viorica Dancila, afirmando que suas declarações sobre a mudança da embaixada “mostram mais uma vez a sua total ignorância no campo da política externa”.

Dancila, chefe do Partido Social-Democrata (PSD), e Klaus Iohannis, presidente desde 2014 e procedente do Partido Nacional Liberal (PNL), são rivais políticos e frequentemente expressam posições divergentes.

Brasil

Durante a campanha eleitoral de 2018, Jair Bolsonaro prometeu que uma das prioridades de sua administração seria transferir a embaixada brasileira para Jerusalém. Desde que tomou posse, contudo, seu governo tem colocado o tema em banho-maria.

Bolsonaro tem viagem marcada a Israel entre 31 de março e 3 de abril e a maior expectativa para a visita é o anúncio sobre a mudança da representação diplomática. O presidente, contudo, afirmou recentemente que ainda é cedo para deliberar sobre a questão.

“Estamos estudando a possibilidade de tomar essa decisão na hora certa”, afirmou Bolsonaro em uma entrevista concedida de Washington à emissora americana Christian Broadcasting Network (CBN).

“Quando Trump assumiu, ele demorou nove meses para tomar essa decisão e eu estou apenas no meu terceiro mês”, disse, se referindo à decisão do presidente dos Estados Unidos.

(Com Agência Brasil e EFE)

DEIXE UMA RESPOSTA

5 + 1 =