PROJETO CRIA O PROGRAMA TODA MULHER MERECE UMA DOULA

O Estado do Rio pode ganhar o programa Toda Mulher Merece uma Doula, que reunirá políticas públicas para a atuação destas profissionais durante a gravidez, o parto e o pós-parto. É o que define o projeto de lei 4.274/18, do deputado Carlos Minc (PSB), que foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) nesta terça-feira (05/02), em segunda discussão. O texto seguirá para o governador Wilson Witzel, que tem até 15 dias úteis para sancionar ou vetar.

As doulas são acompanhantes de parto escolhidas pelas gestantes, que visam prestar suporte contínuo para favorecer a evolução do parto e o bem-estar da mulher grávida. De acordo com o texto, a política deverá atender às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), atualizadas em 2018, e às Diretrizes para Parto do Ministério de Saúde, de 2017. Estão entre os objetivos do programa: desenvolver políticas de inclusão de doulas no serviço de saúde do Estado do Rio, articular tais políticas entre órgãos municipais de saúde, implementar a formação e capacitação de doulas e desenvolver material informativo sobre a atenção multidisciplinar no ciclo gravídico-puerperal. O Poder Executivo deverá regulamentar a norma.

Carlos Minc explicou que as doulas ajudam a diminuir a violência obstétrica e o número de mortes de recém-nascidos. “As doulas apoiam a mulher e humanizam o parto. O Brasil é o campeão de cesáreas, o que demonstra a industrialização dos partos. A cesárea é uma alteração. Já o parto natural é algo muito mais simples e humanizado”, explicou o parlamentar.

Diversas doulas ocuparam as galerias do Plenário da Alerj durante a votação do projeto. A presidente da Associação das Doulas do Estado do Rio informou que a organização procurou o deputado Carlos Minc para que fosse realizado este projeto. “Até hoje a profissão de doula é exercida de forma privada ou pela atuação voluntária de algumas profissionais. Então é importante haver a contratação de doulas pelo estado. Esse programa é importante para que o Executivo possa vir a construir esse mecanismo. É necessária uma estratégia de atuação para que as doulas possam trabalhar no serviço público. A presença de doulas nos partos reduz em 25% o número de cesarianas”, afirmou.

Presente no Plenário, Taiane Braga deu a luz a pequena Helena há 11 meses. Ela lembrou como a sua doula foi fundamental no parto. “A doula foi super importante para me ajudar nos momentos mais difíceis e críticos do parto. Muitas vezes pensei em desistir do parto normal, mas minha doula lembrou que eu era capaz e conseguiria fazer o parto natural”, ressaltou.

VIA: Alerj | Por: Thiago Lontra

DEIXE UMA RESPOSTA

5 + 1 =