Petrobras fará sobrevoos em áreas onde placas que podem ser petróleo contaminam mar no RJ

Pescadores recolheram quatro galões de material denso em escuro nas águas de Arraial do Cabo — Foto: Laila Hallack/Inter TV

Pescadores recolheram quatro galões com o óleo preto e denso de praias de Arraial do Cabo, Cabo Frio e Búzios. Órgão fazem análises e tentam identificar responsáveis.

A Petrobras vai realizar, nesta sexta-feira (5), sobrevoos em áreas do mar de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio, onde surgiram placas de óleo que podem ser petróleo.

Equipes de órgãos ambientais monitoram e atuam, junto com pescadores, na tentativa de limpar por completo as águas desde quinta-feira (4).

Até o momento, nenhum resultado de análise foi divulgado para apontar o que é o material.

Uma equipe da Gerência de Operações em Emergências Ambientais do Inea constatou contaminação na Praia do Pontal e na Prainha, em Arraial do Cabo, após vistoria realizada na quarta-feira (3).

Material estraga redes de pesca

Os pescadores, que recolheram quatro galões com o óleo preto e denso de praias de Arraial do Cabo, Cabo Frio e Armação dos Búzios, chegaram a suspender os trabalhos porque o material contamina as redes, e gruda nos peixes e objetos.

Óleo denso gruda e contamina redes de pesca — Foto: Reprodução Inter TV RJ

Óleo denso gruda e contamina redes de pesca — Foto: Reprodução Inter TV RJ

“Tem muito óleo em todos os costões e devido à correnteza, essa massa se espalhou. Os pescadores não conseguem colocar as redes na água porque ela é perdida e fica contaminada”, relata Jorge Luís de Paula, que trabalha com pesca e resgate no mar.

Nesta sexta, as condições são melhores e alguns pescadores já foram para o mar.

Análises

O presidente da Colônia dos Pescadores, Márcio Leão, informou que os galões com o material recolhido na água foram encaminhados para a Fundação Instituto de Pesca de Arraial do Cabo (Fipac), órgão ligado à Marina dos Pescadores.

G1 entrou em contato com a Fipac, que revelou que aguarda autorização da Petrobras para enviar o material para análise. O G1aguarda um posicionamento da Petrobras sobre a declaração da fundação.

Placas de óleo tomaram conta da areia — Foto: Mateus Vanni/arquivo pessoal

Placas de óleo tomaram conta da areia — Foto: Mateus Vanni/arquivo pessoal

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) disse que ‘”a Petrobras e Marinha também coletaram amostras do óleo para análise, com o objetivo de identificar se o mesmo teve origem nas embarcações da estatal ou de outros navios que passaram na região”.

Mais prejuízo

Na quinta-feira, o Ministério Público Federal (MPF) também realizou uma vistoria, para avaliar a dimensão das manchas.

Praia do Forno foi uma das que teve a coloração da água alterada — Foto: Guarda Ambiental Marítima/Divulgação (foto 1) e Rodrigo Marinho/G1 (foto 2)

Praia do Forno foi uma das que teve a coloração da água alterada — Foto: Guarda Ambiental Marítima/Divulgação (foto 1) e Rodrigo Marinho/G1 (foto 2)

VIA: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

8 + 1 =