Google quer mudar como lida com cookies no Chrome

Parte do modelo de negócios da Google é exatamente trabalhar com dados dos usuários para publicidade. Contudo, a empresa tem sido pressionada há tempos (até por conta de concorrência) a melhorar as opções de privacidade e segurança do Chrome. Por conta disso, a gigante anunciou em seu blog do Chromium que pretende mudar as políticas voltadas a cookies no navegador.

Basicamente, o cookie é a forma com um programa pode ver os rastros de navegação do usuário. É assim que a Google sabe quais sites você visitou e oferece também personalização como preenchimento automático de senhas, URLs e afins. E agora a empresa promete tornar mais fácil a forma como desenvolvedores escolhem quais informações do usuário serão guardadas em cookies em diferentes sites enquanto se navega pelo Chrome.

“Estamos programando uma série de mudanças no Chrome para permitir estas ferramentas, começando com modificar como os cookies funcionam de forma que os desenvolvedores precisam especificar explicitamente quais deles são permitidos em seus sites e quais podem ser usados para rastrear usuários”, aponta o site.

O sistema deve ser implementado já no próximo mês. Com isso, usuários poderão limpar os cookies de navegação sem que isso apague totalmente as informações que podem ser usadas de forma benéfica. Por exemplo: se uma pessoa quer limpar os dados para não ser rastreada, pode deixar aqueles de login automático. A empresa também informa que está limitando o quanto de informações um site pode receber do outro em formato de cookies em conexões HTTPS.

Outra prática que a Google quer derrubar é a do fingerprinting. Este é um sistema que usa softwares ou extensões de navegadores para informar dados do usuário que podem ser usados para publicidade. De forma resumida, este é um mecanismo de burlar navegadores que bloqueiam o rastreio por cookies.

“Uma das formas que estamos fazendo isso é reduzir as maneiras com as quais navegadores podem ser contaminados passivamente com o fingerprinting, de forma que podemos detectar e intervir ativamente contra isso quando acontecer”, explica o site.

VIA: Chromium | Trending no Canaltech

DEIXE UMA RESPOSTA

+ 81 = 87