Gol diz que vai continuar usando Boeing envolvido em acidente na EtiópiaGol diz que vai continuar usando Boeing envolvido em acidente na Etiópia

Gol, única companhia aérea brasileira que opera jatos Boeing 737 Max 8, disse que não vai deixar de utilizar a aeronave após a queda de um avião do mesmo modelo matar 157 pessoas na Etiópia, em um voo da Ethiopian Airlines. Foi o segundo acidente em cinco meses com o Boeing 737 Max 8. Em outubro, 189 pessoas morreram na Indonésiaem um voo operado pela Lion Air.

Atualmente, a empresa brasileira tem sete aeronaves do modelo, que operam rotas nacionais e internacionais e é uma das 37 companhias do mundo que utilizam o novo modelo da Boeing. Segundo a empresa brasileira, até 2027, a frota deve contar com 130 modelos do 737 Max 8.

“Segurança é o valor número um da GOL e direciona absolutamente todas as operações e iniciativas da empresa. A GOL segue acompanhando as investigações e mantem contato próximo com a Boeing para esclarecimentos. A companhia reitera a confiança na segurança da sua operação“, disse a empresa em nota, lamentando também o acidente da companhia etíope.

Além da Gol, Aerolineas Argentinas, Aeroméxico e American Airlines são algumas das operadoras do 737 Max 8.

Banido

Após o acidente, China, Indonésia, Etiópia e Ilhas Cayman baniram a operação do 737 Max 8.  A aeronave está em uso comercial há apenas dois anos, desde 2017.

Questionada sobre sanções no Brasil e segurança da aeronave, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) não respondeu até a publicação.

Bimotor de corredor único, o Boeing 737 MAX é a versão mais recente do avião comercial mais vendido no mundo. Trata-se da quarta geração do 737 – é destinada a voos curtos e de médio alcance. O primeiro voo é de 2016, e a aeronave começou a ser entregue há dois anos.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)

Gol, única companhia aérea brasileira que opera jatos Boeing 737 Max 8, disse que não vai deixar de utilizar a aeronave após a queda de um avião do mesmo modelo matar 157 pessoas na Etiópia, em um voo da Ethiopian Airlines. Foi o segundo acidente em cinco meses com o Boeing 737 Max 8. Em outubro, 189 pessoas morreram na Indonésiaem um voo operado pela Lion Air.

Atualmente, a empresa brasileira tem sete aeronaves do modelo, que operam rotas nacionais e internacionais e é uma das 37 companhias do mundo que utilizam o novo modelo da Boeing. Segundo a empresa brasileira, até 2027, a frota deve contar com 130 modelos do 737 Max 8.

“Segurança é o valor número um da GOL e direciona absolutamente todas as operações e iniciativas da empresa. A GOL segue acompanhando as investigações e mantem contato próximo com a Boeing para esclarecimentos. A companhia reitera a confiança na segurança da sua operação“, disse a empresa em nota, lamentando também o acidente da companhia etíope.

Além da Gol, Aerolineas Argentinas, Aeroméxico e American Airlines são algumas das operadoras do 737 Max 8.

Banido

Após o acidente, China, Indonésia, Etiópia e Ilhas Cayman baniram a operação do 737 Max 8.  A aeronave está em uso comercial há apenas dois anos, desde 2017.

Questionada sobre sanções no Brasil e segurança da aeronave, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) não respondeu até a publicação.

Bimotor de corredor único, o Boeing 737 MAX é a versão mais recente do avião comercial mais vendido no mundo. Trata-se da quarta geração do 737 – é destinada a voos curtos e de médio alcance. O primeiro voo é de 2016, e a aeronave começou a ser entregue há dois anos.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)

DEIXE UMA RESPOSTA

+ 26 = 29