Em acordo da Lava Jato, CCR vai reconhecer que recebeu propina

A Rodonorte, uma das empresas do grupo CCR, reconhecerá que pagou propina para políticos do PSDB no Paraná.

O acordo com a força-tarefa da Lava Jato está em fase final, segundo informações divulgadas na manhã desta 3ª feira (5.mar.2019) pelo jornal Folha de S.Paulo.

A medida visa limpar o nome da empresa, que quer ser competitiva na conquista de novas concessões em leilões. Por ter ações na Bolsa de Valores, a Rodonorte não quer ter problemas com a Justiça.

Um ex-motorista que trabalhava na presidência da Rodonorte disse em depoimento que entregou malas no Palácio Iguaçu, sede do governo do Paraná. De acordo com ele, propina também foi entregue no Tribunal de Contas do Estado e na associação das empresas concessionárias.

Valorização das ações

Em novembro de 2018, a CCR assinou 1 termo junto ao Ministério Público para pagar R$ 81,5 milhões aos cofres públicos e assim se livrar de processos na Justiça paulista. Na época, após a divulgação do acordo, as ações da CCR subiram mais de 11% na bolsa.

O valor compensou doações irregulares que a empresa teria feito em forma de caixa 2 a campanhas de diversos partidos políticos, no período de 2009 a agosto de 2013.

VIA: Poder 360 | Foto: Guilherme Lara Campos

DEIXE UMA RESPOSTA

1 + 6 =