Crianças que amam dinossauros são mais inteligentes, diz estudo

Os pais de crianças que gostam de brincar com dinossauros e se interessam por esse animal pré-histórico podem se animar! Um estudo realizado pelas universidades de Indiana e Wisconsin, ambas nos Estados Unidos, afirma que esse interesse é benéfico para o desenvolvimento das crianças, por “elevar a perseverança, melhorar a atenção e ampliar as habilidades de pensamento complexo assim como processar informações”.

Esse curioso fato acontece devido a um fenômeno chamado por psicólogos de “interesses intensos”, que são, basicamente, interesses bastante específicos que aguçam a curiosidade na infância, fazendo com que a criança busque mais informações sobre algo. Segundo a pesquisa, esse fenômeno é bastante comum em crianças entre os 2 e 6 anos de idade.

A brincadeira estimula o cérebro, diz pesquisa© Fornecido por Abril Comunicações S.A. A brincadeira estimula o cérebro, diz pesquisa

Duas capacidades são desenvolvidas durante essa fase da criança: a linguística e a compreensão. A pesquisa afirma que a forma como as crianças buscam informações sobre seus interesses ajudará a, futuramente, desenvolver estratégias para resolver dilemas e situações complicadas da vida.

UMA QUESTÃO DE ESTÍMULO

A psicóloga Adriana Cabana, do Centro Pediátrico da Lagoa, do Grupo Prontobaby, explicou que isso acontece porque a busca por informações do que é novo para a criança estimula o cérebro. “Tudo aquilo que traz um interesse infantil em crianças pequenas impulsiona a inteligência, faz com que a criança busque mais, aprenda mais. Isso é bom para a memória, para adquirir vocabulário”, ela começa. “O fato das crianças que gostam de dinossauro poderem desenvolver uma inteligência maior está relacionado aos estímulos que isso pode causar e que são extremamente positivos na vida infantil”.

Mas esse desenvolvimento está restrito a crianças que gostam de dinossauros? A psicopedagoga Nícia Fernandes afirma que não. “Não se trata especificamente de dinossauros, mas sim de brincadeiras no geral que são importantes para criança porque ela consegue transcender realidade e criar um imaginário que contribui para que ela tenha um desenvolvimento mais saudável, uma capacidade de pensar mais desenvolvida, uma maior criatividade”.

É claro que todo esses “interesses intensos” não duram para sempre. Eles fazem parte de uma fase da vida da criança. Segundo a pesquisa, em apenas 20% dos casos estudados o interesse durou de seis meses a três anos. “Essa fase vai passar em determinado momento e o legado de busca de interesses vai ficar e agregar na inteligência”, diz Adriana. “Quando a criança entra nessa fase é muito importante que ela seja estimulada”, completa
VIA: Claudia | Por Gabriela Maraccini | Foto: Mariló Valle

DEIXE UMA RESPOSTA

76 + = 77