Aves são encontradas mortas e outras agonizando após envenenamento em Búzios

Aves encontradas mortas em Búzios tinham veneno no organismo — Foto: Prefeitura de Búzios / Divulgação

Aves, entre marrecos, patos e gansos, foram encontradas mortas e outras agonizando após envenenamento na Lagoa dos Ossos, em Armação dos Búzios, na Região dos Lagos do Rio.

Uma equipe da Guarda Marítima Ambiental (GMA) esteve no local e resgatou três marrecos, mas um deles chegou morto à clínica veterinária e outro acabou morrendo logo depois. O terceiro, foi medicado, se recuperou e foi devolvido à equipe da Prefeitura.

Após avaliação médica, o diagnóstico mais provável foi envenenamento por organofosforados, composto químico usado em veneno para matar ratos.

“Eles chegaram com sintomas clássicos que levaram a esse diagnóstico, como alteração neurológica, convulsão, diarreia e morte muito rápida. Sobreviveu o mais novinho, que estava com 60% da saúde comprometida”, disse o veterinário Dr. Hilmar Ferreira Batista.

O veterinário informou ainda que um diagnóstico totalmente preciso só seria possível com exames de necropsia e histologia, mas o fato da ave sobrevivente ter reagido bem ao medicamento contra o organofosforado reforça ainda mais o quadro de envenenamento por essa substância.

Ave sobrevivente reagiu bem ao tratamento contra o envenenamento em Búzios, no RJ — Foto: Prefeitura de Búzios/Divulgação

Ave sobrevivente reagiu bem ao tratamento contra o envenenamento em Búzios, no RJ — Foto: Prefeitura de Búzios/Divulgação

A Prefeitura de Búzios informou que já constatou o despejo irregular de restos de alimentos no local e acredita que moradores possam ter jogado veneno para controlar uma infestação de ratos. A situação está sendo monitorada, segundo o município.

Ao G1, a Prefeitura relatou que vem observando uma redução gradativa do número de aves na Lagoa dos Ossos, que passou de cerca 60 para 15 animais, e acredita que o uso do veneno seja a causa dessa diminuição.

A Secretaria de Meio Ambiente disse que a partir desta quarta-feira (27) vai começar uma ação com a comunidade para alertar comerciantes e moradores sobre o perigo da utilização dessas substâncias tóxicas em locais em que há a presença de animais silvestres e também domésticos.

VIA: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

6 + 4 =