Search
Close this search box.

Servidores federais ocupam prédio do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro

A crise nos hospitais federais do Rio de Janeiro tem sido um tema de grande preocupação. Segundo relatórios, há um déficit de médicos e outros profissionais, além de pacientes fantasmas, o que pode até caracterizar fraude na regulação dos leitos.

O Ministério da Saúde prorrogou por mais 30 dias os trabalhos do comitê gestor montado para discutir a reformulação da rede de hospitais federais do Rio. A ministra da Saúde, Nísia Trindade, afirmou que detalhes sobre a administração das unidades ainda serão aprofundados.

A crise nos hospitais federais motivou a exoneração do diretor do Departamento de Gestão Hospitalar da pasta, Alexandre Telles, em março. No caso do Hospital Federal de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, a ala da emergência está fechada há mais de três anos, sem previsão de reabertura, por falta de manutenção e pessoal.

Em resposta à crise, os servidores da saúde federal do Rio paralisaram atividades por 48h em protesto contra o governo federal epode afetar o atendimento nos hospitais federais Cardoso Fontes, de Bonsucesso, dos Servidores do Estado, do Andaraí e da Lagoa.

Os servidores são contra a possibilidade de transferência de gestão dos hospitais ligados ao Ministério da Saúde para os governos estadual e municipal. Além disso, os trabalhadores pedem concurso público, fim do desabastecimento de unidades de saúde, recomposição de perdas salariais e transferência da carreira da Seguridade Social para a carreira da Ciência e Tecnologia.

A paralisação e as atividades foram aprovadas em uma assembleia geral da rede federal do Rio que ocorreu no dia (17). Uma nova assembleia de toda a rede federal será realizada nesta quinta-feira (25) em frente ao DGH, após reunião da mesa setorial de negociação do Ministério da Saúde, prevista para as 10h da manhã. Na assembleia os servidores vão decidir sobre indicativo de greve por tempo indeterminado.

A situação é complexa e requer atenção e ação imediatas para garantir que os cidadãos do Rio de Janeiro tenham acesso a serviços de saúde de qualidade. A crise nos hospitais federais e as manifestações dos servidores da saúde federal são um chamado para a reforma e melhoria do sistema de saúde.

Veja abaixo a entrevista com os servidores: (REPORTAGEM COMPLETA EM BREVE)

Christiane Gerardo – Diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social no Estado do Rio de Janeiro – Sindsprev-RJ

Paulo Pinheiro – Vereador do Rio de Janeiro

Mais Matérias

Pesquisar...