Search
Close this search box.

Cobrando mais segurança, motoristas de aplicativo fazem protesto em BH

Motoristas de aplicativos de transporte de passageiros protestam nesta segunda-feira (4/1) contra a escalada de violência a companheiros de profissão que, apenas nas últimas semanas, foi ampliada com o registro de um latrocínio e outros três assaltos a mão armada.

A carreata saiu do Bairro São Francisco, perto do quartel do Corpo de Bombeiros, e rumou em direção ao edifício da Justiça Federal. De lá, eles foram ao Ministério Público, do outro lado da Avenida Álvares Cabral, onde representantes do movimento foram recebidos por promotores. Cerca de 30 motoristas participaram do ato.

“Da mesma forma que motorista é cobrado pra trabalhar, o passageiro deveria ser para ser passageiro. Nós demoramos uma semana para sermos aprovados e rodarmos com tranquilidade. Eles pedem nosso endereço, CPF, antecedentes criminais… Isso também deveria ser feito do outro lado”, afirma o motorista Alexandre Fernando.

Ele ainda aponta que a detecção facial do passageiro pode ser uma solução. “Alguns aplicativos já contam com isso, mas a exigência é maior para entrar devido os tipos de carro”, acrescentou. Ele acredita que o aplicativo já se tornou um serviço essencial, principalmente, em tempos do novo coronavírus, e aumentar a segurança é algo necessário.

Cerca de 30 motoristas participaram do ato
© Leandro Couri/EM/DA Press Cerca de 30 motoristas participaram do atoNo final da noite do dia 31, o motorista de aplicativo Anderson Coelho Alves, de 27 anos, foi assassinado.

O corpo foi encontrado pela manhã do dia seguinte numa estrada de terra próximo a Vespasiano. O carro da vítima, um Palio, também foi encontrado, no Bairro Novo Horizonte, no mesmo município.

O motorista estava desaparecido desde quinta-feira à noite. Seu último contato com a família foi por volta de 23h. Estava terminando sua última corrida, que começou em Santa Luzia e seguia para o Bairro Cabana do Pai Tomás, na Zona Oeste de Belo Horizonte. Depois disso, desapareceu. Dois homens foram presos e confessaram o assassinato.

Nesse domingo (04/01), um motorista de aplicativo foi vítima de ladrões na Grande BH. Dessa vez, o crime aconteceu durante a madrugada, no entanto, o condutor, um homem de 51 anos, escapou da morte ao saltar do veículo, ainda em movimento, no Bairro Nova Vista, em Sabará. Dois dos autores foram presos pouco depois de a Polícia Militar ser acionada. O terceiro ainda está foragido.

O motorista, que pediu para manter seu nome em segredo, contou que atendeu a um chamado para pegar dois passageiros no Bairro Jardim Vitória. Tão logo os homens entraram no veículo, anunciaram o assalto e mandaram que ele seguisse para Sabará. Pouco tempo depois, mandaram que ele parasse o veículo. Foi quando surgiu um terceiro assaltante, que dava cobertura ao grupo. O motorista foi colocado no banco de trás e passou a ter uma arma apontada para si. A vítima contou que entregou todo o dinheiro que possuía.

“Queremos saber sobre as investigações, como ocorreu, se foi pelo aplicativo ou foi uma abordagem na rua”, disse o motorista Ramon Cesar da Costa. Ela afirma que, para estimular os trabalhos no fim do ano, o aplicativo promoveu promoções e metas.

“E para cumprir as metas acabamos aceitando viagens em lugares de risco. Acho que foi isso que ocorreu nos dois casos. Precisamos de trabalhar com mais segurança”, afirma. Ele ainda acrescenta que se os aplicativos fornecessem o número de viagens feitas pelo passageiro auxiliaria os motoristas.

Motoristas disseram que categoria foi recebida pela promotora Vanessa Fusco. Segundo eles, o MPMG se comprometeu a buscar soluções de segurança. Após o recesso, uma nova reunião deve ser marcada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Matérias

Pesquisar...