A favela sobrevivendo ao verão

Fonte: ANF

Janeiro de 2019, verão com sensação térmica de 45º graus e dentro da favela vamos sobrevivendo como dá.

O primeiro obstáculo é a falta d’água, não adianta, todos os anos são as mesmas desculpas: a limpeza do canal de abastecimento, a economia da água no verão, o rompimento da tubulação, a bomba d’água queimou e a água não “tem forças” para chegar até o alto do morro. E o que acontece? Os moradores ficam sem água, não tem piscina para a criançada que está de férias, não tem como lavar as roupas e as louças e a solução é descer o morro cheio de baldes nesse calor para garantir o banho e a alimentação.

O segundo obstáculo é a falta de luz, impressionante como na favela deu 8 horas da noite, a luz começa a ficar fraca e já não basta a falta de água, eis que a luz acaba. E lá vem as mesmas desculpas de sempre, “são muitas coisas ligadas, a energia não suporta” ai eu te pergunto, se “são muitas coisas ligadas” porque não falta luz na cidade toda? E para piorar, o problema sempre é  no transformador, conclusão, a empresa que fornece energia demora muito para enviar os técnicos, em alguns lugares a empresa simplesmente não entra por considerar “área de risco”, mas os moradores podem ficar sem energia. Surreal!

Créditos – Reprodução da Internet

Ainda sobre o problema da luz, geralmente o conserto demora de 1 a 5 dias dependendo da localidade, enquanto isso, os moradores perdem os alimentos da geladeira, sofrem no calor e quando a luz volta, vem com tanta força que queima os eletrodomésticos e eletrônicos. Isso parece normal, mas não é, na verdade é um descaso, falta de cuidado com o morador, já que essas são questões que acontecem todos os anos.

Outro problema frequente no verão é a falta de empatia dos moradores da cidade com os moradores das favelas, (lembrando que a favela é cidade, mas as pessoas insistem em dividi-las) todos têm direito de irem à praia, todos querem curtir um dia de sol, e todos os anos surgem as polêmicas dos ônibus que fazem o trajeto da zona norte a zona sul. É um show de horrores e preconceitos, nem curtir a praia o favelado tem direito.

Créditos – Reprodução da internet

Parece que durante o ano inteiro não tem planejamento algum para essas questões que afetam os moradores das favelas durante o verão, triste realidade. Não sei se onde você mora é assim, já experimentou pegar ônibus em torno da favela? Simplesmente não tem um local para você esperar o ônibus como em outras partes da cidade, apenas a placa no poste com a sinalização que ali é um ponto, mas no verão dá até para pegar um bronze esperando o transporte.

Créditos – Renato Moura

O último problema que destacamos, mas não menos importante, é a falta de limpeza nos esgotos e a coleta de lixo, se no inverno chuvoso todos os boeiros transbordam, imagina no verão o cheiro insuportável daquela água podre minando o dia inteiro, muita das vezes é o próprio morador que “arruma” e desentope os boeiros. E o lixo? Chega a ser desumano, proliferação de ratos, baratas, mosquitos, gerando mais problemas causados pela transmissão de doenças, um labirinto sem fim.

Créditos – Bruno Itan

Só quem vive, sabe como é o descaso com os moradores, que pagam os impostos, trabalham e lutam para ter o que é de direito, afinal, somos todos iguais?

DEIXE UMA RESPOSTA

1 + 3 =